Vivendo à luz do evangelho

Ao tentar identificar verdadeiros cristãos, podemos olhar para suas obras, sua cosmovisão, e o modo como ela afeta suas decisões e práticas cotidianas, as verdades imutáveis, a morte e a ressurreição de Cristo, devem ser vistas na vida de um cristão genuíno, até nas atividades mais banais e corriqueiras.

Na epístola de I João, redigida provavelmente por João, o apóstolo a quem Jesus amava, podemos enxergar em sua fala práticas e costumes de verdadeiros cristãos que têm suas ações direcionadas pelo evangelho.

O autor afirma desde o início que por terem visto, ouvido, contemplado, e até mesmo apalpado aquele que era desde o princípio, eles agora deveriam proclamar e testemunhar do que tinham visto e vivido junto a Ele.
João escreve essas instruções, que como ele diz não são um novo mandamento, mas coisas que Jesus já os ensinou, para ajudá-los a não pecarem, ao mesmo passo os recorda daquele que já fez propiciação pelos pecados do mundo através de sua morte e ressurreição, aqueles que vivem nele e afirmam o conhecer devem viver de acordo com seus mandamentos, se não for assim, aquele que afirma o conhecer é mentiroso.

O autor pinta a imagem de um Deus que é Luz e Amor, e como pessoas cristãs vivendo debaixo e sob a direção dessa luz devem viver: tendo comunhão com outros que também estão na luz, não negando sua natureza pecadora, mas sim confessando seus pecados Aquele que pode perdoá-los, amando seu irmão em ação e verdade, doando seus recursos e compadecendo-se do necessitado, rejeitando a cobiça da carne, dos olhos, e a ostentação dos bens que não vêm do Pai, mas do mundo e do que provém do Maligno.

Em todas essas instruções, o autor os pede para que permaneçam no Filho e no Pai,
e é guardando esses mandamentos, que eles permanecerão e serão aperfeiçoados e purificados nEle assim como Ele o é, e como um dia eles serão.

O conteúdo do livro se mostra cíclico, as instruções são que os ouvintes permaneçam naquele que é Luz e Amor, vivendo como Cristo ordenou e mostrou, aquele que confessa Cristo mas não vive de maneira aprovada e reta, mente. Tudo que o autor diz para seus ouvintes serem e fazerem, ele o diz porque Cristo desde o princípio o foi e ainda é, amamos porque ele amou primeiro, perdoamos porque Ele nos perdoou, damos de nossos recursos, pois Ele nos deu a vida eterna.

Quem anda com Cristo deve viver como ele viveu em cada ação e pensamento, suas palavras, aquilo que confessa deve ser coerente com sua vida, pois somente assim poderemos reconhecer aqueles que de fato O amam. Deus se revelou a eles por meio do seu Filho, eles o viram, ouviram, contemplaram e apalparam, eles sabem que ele é verdadeiro, e que Ele vive. Portanto, a última instrução do autor é: “Filhinhos, guardem-se dos ídolos”. Os ídolos de nada servem, são falsos, quebram e se estilhaçam, mas agora eles conhecem aquele que é eterno e os salvou de seu pecado, então ele os convida a viverem no caminho do Deus que é Luz e Amor.

por Aline Rück Miguel

*O conteúdo deste texto é de responsabilidade de seu (s) autor (es) e colaboradores diretos e não reflete necessariamente a posição do TeachBeyond Brasil ou de sua equipe ministerial.

[Texto publicado originalmente no dia 20 de abril de 2022 na revista Nosso Chima]

 

Gostou do conteúdo? Compartilhe!
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
jÁ CONHECE NOSSO PODCAST?
Nos siga nas redes sociais
confira agora
Posts Recentes
Artigo

Vivendo à luz do evangelho

Ao tentar identificar verdadeiros cristãos, podemos olhar para suas obras, sua cosmovisão, e o modo como ela afeta suas decisões e práticas cotidianas, as verdades imutáveis, a morte e a ressurreição de Cristo, devem ser vistas na vida de um cristão genuíno, até nas atividades mais banais e corriqueiras.

Na epístola de I João, redigida provavelmente por João, o apóstolo a quem Jesus amava, podemos enxergar em sua fala práticas e costumes de verdadeiros cristãos que têm suas ações direcionadas pelo evangelho.

LEIA MAIS »
Artigo

Pastor, onde está o seu coração?

“Aquele que mantém seu coração distante do Senhor
demonstra que faz da humanidade mortal a sua força.”

Sabe aquele tipo de comentário que você não planeja ouvir, porém, por estar passando perto, acaba escutando? Pois é, certa vez ouvi dois cristãos conversando sobre um verso do livro do profeta Jeremias que diz o seguinte: “Maldito é o homem que confia nos homens, que faz da humanidade mortal a sua força, mas cujo coração se afasta do Senhor.” (Jr 17.5).

LEIA MAIS »

Quer saber mais sobre o STG e nossos cursos?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *