A BRINCADEIRA COMO UM EXERCÍCIO Á IMAGEM DE DEUS

 

Ao passar por diferentes culturas e pelo menos seis países junto ao TeachBeyond em missões de curta duração, não pude deixar de buscar paralelos, semelhanças e diferenças entre as localidades, percebendo a forma como interagíamos e estabelecíamos contato com diferentes línguas, culturas e gentes.

Curiosamente, em todas essas experiências estive envolvido na área de criação e aplicação de atividades recreativas, o que me levou a notar um aspecto comum dentro de tanta diversidade: o lugar que a brincadeira ocupa na vida do ser humano.

A brincadeira exerce um papel central na experiência da criança não só porque a infância se desenvolve através da mesma, mas porque também esboça algum aspecto de plenitude e cumprimento de propósito no brincar.

Certa vez ouvi: “ O Reino de Deus é quando as coisas acontecem do jeito que foram criadas pra ser” — ou seja, assim como um pássaro que canta ou uma lontra que nada, uma criança que brinca com gosto pode expressar muito da sacralidade e simplicidade do Próprio Deus.

Por estar tão imbricada com a experiência do que é ser humano, e levando em conta o fato de que todo adulto já foi criança, pude, em primeiro lugar, notar a incrível ferramenta de conexão suprageracional e supracultural possibilitada pelo ato de brincar. Quando se brinca junto, é possível falar uma língua que vai além da língua; superar barreiras — porque aponta pra uma outra barreira a ser superada juntos, como achar um tesouro, criar um castelo ou “fugir de um dragão”; criar laços — porque provoca a superação comunitária e tira o enfoque do eu para a construção brincante que está sendo formada.

E neste sentido, a brincadeira bem conduzida ara a terra dos relacionamentos clarificando com maestria para as partes o fato de que: “bom, realmente, temos algo em comum!”

Uma segunda realidade muito profunda está relacionada à uma qualidade admirável das crianças, que inclusive dá título a este artigo. Antes das convenções ou linhas rígidas de como devem pensar e agir, as crianças tendem a uma criatividade estonteante. Justamente por não estarem presas a tantos paradigmas, elas, por vezes de forma surpreendente, nos mostram construções lógicas por perspectivas que não teríamos.

Um dos motivos é que seu aparato de aprendizagem ainda não está pronto para esse tipo de sistematização; outro é sua capacidade de recombinar elementos de uma forma despreocupada em um espaço imaginativo livre de julgamentos. A partir desta segunda menção é que gostaria de fazer uma provocação:

Para além das demandas adultas, das suas responsabilidades e de seu checklist espiritual, você tem tempo pra brincar um pouco com aquilo que orbita seu coração, mente e a fé?

Não quero dizer que é possível “brincar com a fé”, dando a entender irresponsabilidade ou mero entretenimento. Quero trazer o leitor para a essência da brincadeira: a capacidade de relacionar elementos que aparentemente não se conectam e fazê-lo com um propósito, embora sem o peso de uma tarefa.

Pensar na sacralidade das nossas relações significa pensar na simplicidade e verdade que elas também apresentam. Deus também nos criou assim, para ter prazer no Seu jardim e prazer uns nos outros, expressando o louvor e a gratidão sinceros em sermos criados à imagem dEle, a ponto de sermos livres para encontrar a graça espalhada por aí.

Quanto do seu dia a dia maduro é ocupado com brincadeiras saudáveis?

 


Por Lucca Aurich, egresso de 2019, pedagogo em formação e apaixonado por crianças.

*O conteúdo deste texto é de responsabilidade de seu(s) autor(es) e colaboradores diretos e não reflete necessariamente a posição do TeachBeyond Brasil ou de sua equipe ministerial. 

Gostou do conteúdo? Compartilhe!
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
jÁ CONHECE NOSSO PODCAST?
Nos siga nas redes sociais
confira agora
Posts Recentes
Artigo

Re-Forma

stgramado RE-FORMA Existem diversas maneiras de descrever a ação de Deus em nossas vidas e muitas envolvem profissões criativas: oleiro, escritor, pintor, compositor. Minha analogia

LEIA MAIS »
Artigo

Mães pela Graça

stgramado MÃES PELA GRAÇA Neste Dia das Mães, queremos celebrar a vida daquelas que receberam do Senhor essa responsabilidade e privilégio. Sabemos que nem sempre

LEIA MAIS »
Artigo

E sobre a Páscoa?

stgramado E SOBRE A PÁSCOA? Pense por um instante na mistura de sentimentos que um pastor enfrenta ao ser convocado para pregar em datas de

LEIA MAIS »

Quer saber mais sobre o STG e nossos cursos?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *